Editoriais \ geral agora-to.com.br

Terça-feira , 07 de Agosto de 2018 - 21hs00

sucessão tocantins

Amastha recua da desistência “atendendo a pedidos”

Fonte: Alvaro Vallim

Tamanho da Letra A- A+

A desistência do ex-prefeito Carlos Amastha em disputar o comando do Palácio Araguaia em 7 de outubro durou apenas cerca de 24 horas. Conforme já previam vários analistas políticos, jornalistas, curiosos e até mesmo o pessoal que joga sinuca no bar da esquina, Carlos Amastha retomou na tarde desta terça-feira, 7, os trabalhos para a disputa eleitoral. Enquanto isso ele experimentou a atenção de toda a imprensa tocantinense, de seus correligionários, aliados políticos, de adversários e até mesmo de pessoas que não estavam nem aí para a campanha eleitoral.

Durante o intervalo de um dia, Amastha foi amado e odiado e foi chamado de muitas coisas. Houve quem o classificasse de coitado, ou de irresponsável. Houve ainda quem o colocasse como profissional da alegria (palhaço), sem nenhuma menção ao show do Tirulipa que acontece no final de semana. Teve gente achando que ele tinha razão, quando disse que foi “traído”, e tiveram outros que consideraram tudo uma grande encenação, um grande espetáculo.

Algumas pessoas achavam que a desistência era séria e que ele estava a fim de economizar uma grana numa hipótese de estar considerando a eleição perdida. Por fim, também acharam que tudo não passou de uma fanfarronice do ex-prefeito de Palmas com o objetivo de chamar a atenção para si mesmo.

Fosse o que fosse, Amastha chamou a atenção para si. Criou expectativa ao chamar uma coletiva para esta terça, 7, pela manhã. Depois desmarcou, marcou novamente para 16:30 e depois acabou adiantando o horário. Na coletiva, que tinha mais cara de um mini comício, ele finalmente reassumiu a campanha, se é que em algum momento ele a deixou.

A coisa toda não fazia sentido, desistir um dia após realizar as convenções que sacramentaram sua chapa, mesmo tendo perdido o apoio de importantes partidos. Não fazia sentido pela renúncia com data marcada, ou por estar preparando tudo isso há mais de um ano, inclusive com as ações midiáticas de sua gestão.

Nem o advogado de Amastha, Leandro Manzano, acreditou no que seu cliente falou e anunciou que faria o registro das atas no TRE-TO, como manda o figurino. Houve quem classificasse como fake.

O fato mesmo é que Amastha pode ter errado na composição da chapa majoritária, ao dar duas vagas ao PSDB. Isso fez com que ele perdesse aliados preciosos, que vinham atuando juntos desde a campanha de 2012. Um dos partidos que perdeu foi o PCdoB, sigla considerada pequena, mas de grande tradição na política e de ser uma das poucas legendas que tem efetivamente militantes. E que são muito aguerridos.

Amastha perdeu na semana passada o PROS, com a deputada Josi Nunes, que apoiou Vicentinho na suplementar e agora está com Carlesse. Assim aconteceu com vários partidos que Amastha vem trazendo junto e colocando aliados seus há muito tempo. Assim, enquanto Carlesse e Marlon Reis conseguiram montar chapas mais plurais, Amastha aglutinou Vicentinho e Ataídes, dois senadores buscando a reeleição, e na última hora veio também o apoio do MDB, de Marcelo e Dulce Miranda, Derval, Paulo Sidnei e de Freire Jr., que no final rebelou-se e retirou sua candidatura, lembrando que todos foram chamados de “vagabundos” pouco tempo atrás.

Talvez a retomada rápida tenha sido motivada pela avaliação que a renúncia, poderia causar mais estragos que ganhos se durasse mais e que colocasse a credibilidade do candidato do PSB em grande dúvida.

O fato é que o jogo está sendo jogado e as jogadas não podem ser mal calculadas. Em campo Carlesse (PHS), Amastha (PSB), Marlon (Rede), Simoni (PSL) e Bernardete (PSOL). Que o vencedor seja o povo do Tocantins.  (Alvaro Vallim)


Comentários enviados por leitores:

Sem comentários registrados/aprovados até o momento.
Quer ser o primeiro a comentar esta notícia? Clique aqui...

Plantão

+ Comentadas

Sem Informativos
2008 - 2018 Agora-TO seu portal de Notícias - Todos os direitos reservados | Contato/Fax: (63) 3214-1853 | redacao@agora-to.com.br