Editoriais \ opinião agora-to.com.br

Terça-feira , 16 de Outubro de 2018 - 11hs20

eleições 2018

Como a Lava Jato mudou o cenário das eleições 2018?

Fonte: Da Redação

Tamanho da Letra A- A+

Plenário do Senado

Uma operação nunca influenciou tanto uma eleição como a Lava Jato. A indignação da população e a busca por nomes ficha limpa mudaram o cenário do Senado e a Câmara dos Deputados, muitos nomes conhecidos não conseguiram a reeleição. Com a investigação ainda em andamento, uma tensão também é criada, já que ninguém sabe o que vem a seguir, e quais novos nomes podem surgir.

No livro Mãos limpas e Lava Jato: A corrupção se olha no espelho, o Procurador do Ministério Público, Rodrigo Chemim, faz comparações entre a mega operação italiana Mãos Limpas e a brasileira Lava Jato. Na obra, Chemim apresenta uma pesquisa abrangente e levanta fatos históricos sobre as duas grandes operações de combate à corrupção. Além disso, a versão atualizada de Mãos Limpas também traz um apêndice exclusivo sobre a prisão do ex-presidente Lula, sendo o único livro no mercado a retratar as evidências que levaram a sua condenação.

LIVRO

Edição atualizada de Mãos Limpas e Lava Jato: A corrupção se olha no espelho, traz apêndice exclusivo sobre a prisão do ex-presidente Lula.

Em meio ao caos da política brasileira, Rodrigo Chemim, procurador do Ministério Público, faz comparações entre a megaoperação italiana Mãos Limpas e a Lava Jato.

Corrupção italiana e brasileira: dois lados da mesma moeda? Publicado pela Editora Citadel, o livro Mãos Limpas e Lava Jato: A corrupção se olha no espelho, apresenta uma pesquisa abrangente e levanta fatos históricos sobre as duas grandes operações de combate à corrupção realizadas na Itália e no Brasil. A nova edição da obra investigativa de Rodrigo Chemim traz um apêndice inédito com os dados mais importantes sobre a prisão do ex-presidente Lula e as evidências que levaram à sua condenação.

Após a divulgação de documentos, investigações e longos e conturbados julgamentos, o caos no cenário político brasileiro continua denso. As recentes coligações e os discursos eleitorais aprofundam a divisão do país em termos de posição partidária e a respeito das sentenças proferidas até agora. O livro de RodrigoChemim compara o que aconteceu na Itália com o que acontece no Brasil e indica possíveis desfechos.

Procurador do Ministério Público e doutor em Direito do Estado, o autor detalha a metodologia e as perspectivas de ambas as operações. Entre documentos e processos, Chemim demonstra o desenrolar das investigações que inicialmente enfocavam um episódio isolado de corrupção, mas se tornaram gigantescas ações contra esquemas de pilhagem dos cofres públicos e pagamento de propina.

Marco da história pública, política e policial nacional, a Lava Jato muito se assemelha à Mãos Limpas, desde o modus operandi dos corruptos das esferas pública e privada até as manobras e desculpas que usaram para se safar da justiça. Separadas por duas décadas, as operações revelam a corrupção sistêmica que assola Itália e Brasil, onde gestores públicos e privados drenam as esperanças e ideais de toda uma nação, desviando fortunas incalculáveis para as contas de políticos e partidos de todos os matizes ideológicos.

A corrupção em última análise é um toma-lá-dá-cá, mas, diferentemente do que ocorre com o funcionário público que pratica atos de ofício vinculados à lei, como o guarda de trânsito, no caso do político a contrapartida é mais aberta e não raras vezes vinculada à sua influência política no processo decisório de um terceiro. Foi justamente esse o caso do ex-presidente Lula, acusado de receber propina para se valer de seu poder discricionário na nomeação de diretores da Petrobras e influenciar nas decisões igualmente discricionárias que estes tomariam na contratação da empreiteira que corrompeu a todos. Portanto, a imputação de corrupção passiva é perfeita na denúncia e tecnicamente possível à luz da lei e da jurisprudência brasileiras. A questão agora é saber se as provas documentais, periciais e testemunhais indicadas na denúncia eram suficientes para a condenação. Deixa-se ao leitor a liberdade de avaliar o conjunto e concluir se a condenação foi correta ou não. – Rodrigo Chemim, Mãos Limpas e Lava Jato (pp. 272–273).

 

 

Sobre o autor: Rodrigo Chemim é doutor em Direito de Estado, professor de Direito Processual Penal no Centro Universitário Curitiba e no Centro Universitário Franciscano em Curitiba. Procurador do Ministério Público do Paraná há 24 anos, atuou por mais de quinze anos na investigação de crimes do colarinho-branco.

 

 

 

 

Ficha Técnica: Mãos Limpas e Lava Jato: A corrupção se olha no espelho
Editora: Citadel
Autor: Rodrigo Chemim
ISBN: 978-85-68014-67-7
Assunto: Política/ Nacional
Número de páginas: 320
Preço:R$42,90

Conheça também:

 

 

Sinopse: O relato completo e preciso de uma das maiores operações contra a corrupção da história europeia que serviu de inspiração para Sérgio Moro na Operação Lava Jato. A operação Mãos Limpas foi a maior investigação sobre corrupção sistêmica já realizada em um país. Conduzidas na Procuradoria de Milão as investigações desvendaram uma enorme rede de corrupção entre governo e empresas vendedoras de bens ou serviços ao setor público. A propina arrecadada financiava partidos e enriquecia políticos e amigos do poder. Durante a campanha da operação, 2.993 mandados de prisão foram expedidos, 6.059 pessoas foram investigadas, incluindo 872 empresários, 1.978 administradores locais e 438 parlamentares, dos quais quatro haviam sido primeiros-ministros. Além disso, 13 envolvidos cometeram suicídio e grandes partidos foram extintos. A versão em português conta com introdução e artigo completo escritos pelo juiz federal Sérgio Moro.


Comentários enviados por leitores:

Sem comentários registrados/aprovados até o momento.
Quer ser o primeiro a comentar esta notícia? Clique aqui...

Plantão

+ Comentadas

Sem Informativos
2008 - 2018 Agora-TO seu portal de Notícias - Todos os direitos reservados | Contato/Fax: (63) 3214-1853 | redacao@agora-to.com.br