Siga nas redes sociais

Andressa Mendonça, mulher de Cachoeira, é intimada por corrupção ativa


O juiz federal Mark Yshida Brandão, Diretor do Foro da Seção Judiciária de Goiás, durante o plantão judiciário do último final de semana, proferiu Decisão em resposta à representação encaminhada pelo Ministério Público Federal sobre a tentativa de corrupção ativa do juiz Alderico Rocha Santos, praticada por Andressa Alves Mendonça, mulher do réu Carlos Augusto de Almeida Ramos, com o objetivo de forçar uma decisão favorável ao contraventor.


Na manhã desta segunda, 30, Andressa foi levada presa à sede da Polícia Federal em Goiânia para prestar esclarecimentos sobre a tentativa corrupção ao juiz Alderico Rocha, responsável pelo julgamento de seu companheiro. Segundo a decisão proferida pelo juiz Mark Yshida Brandão, diretor do Fórum da Justiça Federal de Goiânia, Alderico relatou que a acusada o procurou dizendo ter um dossiê que lhe seria desfavorável e que poderia ser publicado na revista Veja, pelo repórter Policarpo. Ela pediu então que o juiz concedesse liberdade a Carlos Cachoeira e o julgasse inocente das acusações que pesam contra ele no processo resultante da Operação Monte Carlo.


A Polícia Federal foi à casa de Andressa cumprindo mandato de condução coercitiva e apreensão de documentos, computadores, tablets e outros equipamentos eletrônicos que poderiam conter documentos arquivados. Andressa foi levada à sede da PF e foi liberada, mas terá que pagar fiança de R$ 100 mil. Ela também está proíbida de manter qualquer contato com qualquer um dos investigados pela Operação Monte Carlo, incluindo seu companheiro Carlos, que se encontra preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília. Ela também foi proibida de qualquer contato com o juiz Alderico Rocha, mesmo que através de terceiros, e de acesso ao prédio da Justiça Federal de Goiás, salvo quando for intimada.


O juiz Mark Yshida proferiu ainda em sua decisão que se qualquer uma das medidas determinadas for descumprida, Andressa Mendonça estará sujeita a ter sua prisão preventiva decretada.


Veja a decisão na íntegra. Clique aqui.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo