Siga nas redes sociais

Banco Mundial aprova empréstimo para o Tocantins


O Banco Mundial aprovou, nesta quinta-feira, 26, um empréstimo US$ 300 milhões para o Estado do Tocantins. O recurso será destinado a obras do PDRIS – Projeto de Desenvolvimento Regional Sustentável Integrado do Tocantins e terá contrapartida de US$ 75 milhões do Governo do Estado.


Com a aprovação da operação de crédito, o próximo passo é a assinatura do contrato para a liberação dos recursos, que, obedecendo aos trâmites normais, deve ocorrer nos próximos três meses. Este empréstimo tem prazo de vencimento final de 24 anos e meio, com cinco anos de carência.


O empenho do governador Siqueira Campos foi de fundamental importância para a liberação deste empréstimo. Ao assumir o Governo do Estado, Siqueira Campos determinou que todos os relatórios financeiros e de prestação de contas da execução do PDRIS nas gestões anteriores, que estivessem atrasados, incompletos ou em falta, fossem viabilizados e disponibilizados para o Banco Mundial. “O Tocantins é um estado jovem e promissor, com muitas oportunidades de crescimento econômico e de se tornar auto suficiente”, disse o Governador José Wilson Siqueira Campos, durante as negociações com o Banco Mundial.


O PDRIS tem como objetivo estimular o desenvolvimento local e estadual por meio de melhores transportes e de maior oferta de serviços públicos, beneficiando cerca de 300 mil pessoas em 72 municípios.


O dinheiro será aplicado na eliminação de cerca de 2.600 pontos críticos em estradas vicinais municipais; construção de pontes, bueiros e drenagem. Também serão feitos reabilitação e conservação de cerca de 1,6 mil quilômetros de estradas estaduais. Estradas estas que já atingiram ou ultrapassaram o seu tempo de vida útil e precisam de reabilitação/rejuvenescimento de pavimento e acostamento, reabilitação de pontes, melhoria da drenagem e da sinalização, melhoramento dos cruzamentos perigosos e dos acessos. As obras com este recurso contemplam, ainda, a eliminação de cerca de 20 pontos críticos em estradas não pavimentadas do Estado, através da substituição das atuais infraestruturas deficientes por estruturas pavimentadas.


“Melhorar as estradas vicinais é crucial para criar novas oportunidades de emprego, aumentar o acesso dos produtores a mercados nacionais e internacionais e proporcionar facilidade de acesso dos alunos da rede pública às escolas. A implantação da gestão por resultados trará mais eficiência à administração pública e mais desenvolvimento ao estado, criando bem-estar para todos os homens e mulheres que habitam nosso chão”, disse o Governado Siqueira Campos aos técnicos do Banco Mundial.


O Estado do Tocantins tem uma população de 1,3 milhão de habitantes entre os quais grupos vulneráveis que englobam 13 mil indígenas e 7.500 quilombolas, que são comunidades descendentes de escravos. Possui ainda excepcionais recursos ambientais que abrangem extensas áreas preservadas. Embora a economia do Tocantins tenha registrado um constante aumento nas taxas de crescimento, a renda per capita ainda ocupa a 16ª posição entre os estados brasileiros.


O Estado vem priorizando estratégias de modernização a longo prazo, por meio do Plano Plurianual, que visa estimular o desenvolvimento sustentável e melhorar a qualidade de vida de seus cidadãos. Alinhado com essa estratégia de longo prazo, o novo Plano Plurianual tem como objetivo fortalecer a competitividade para estimular o crescimento econômico, garantindo a inclusão social e a sustentabilidade ambiental.


“Fomentar a integração do Estado permitirá um fluxo de mercadorias mais rápido para os mercados nacional e internacional, assegurando ao mesmo tempo a sustentabilidade ambiental e a inclusão social”, afirmou Deborah L. Wetzel, Diretora do Banco Mundial para o Brasil. “A melhoria do transporte de forma integrada, das estradas locais para as principais rodovias federais e os corredores de transporte multimodais, facilitará a entrada nos mercados, ampliará o acesso às oportunidades de emprego, assim como trará mais educação e serviços às populações rurais.” (Com informações da Assessoria de Comunicação do Banco Mundial)

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo