Siga nas redes sociais

Brasil Carinhoso reduz pela metade a miséria no Norte


 No Norte do país, 276,7 mil famílias saíram da extrema pobreza até julho deste ano. Esse é o contingente atendido pelo Brasil Carinhoso – ação do Plano Brasil Sem Miséria que complementa a renda de famílias cuja renda por pessoa seja de até R$ 70 por mês e que tenham filhos de até 6 anos. A ação beneficiou 1,3 milhão de pessoas, metade da população extremamente pobre na região e 8,2% dessa população em todo o país.


O Brasil Carinhoso foi lançado em maio pela presidenta Dilma Rousseff com o objetivo de retirar da miséria todas as famílias brasileiras com crianças até 6 anos. Julho foi o segundo mês de pagamento do benefício, que significou uma injeção de R$ 25 milhões na região. Em todo o país, o Brasil Carinhoso beneficiou 2.012.280 famílias – ou 8,6 milhões de pessoas – e repassou R$ 169,8 milhões.


“O interessante no Benefício de Superação da Extrema Pobreza é que, como se baseia numa plataforma já existente, robusta e bem executada, que é o Bolsa Família, os impactos são imediatos. Então, tivemos um impacto brutal de redução da extrema pobreza, num tempo muito curto”, avalia o secretário nacional de Renda de Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Luís Henrique Paiva.


O valor do benefício varia de acordo com a renda e o número de integrantes de cada família. Para calculá-lo, é necessário somar a renda mensal total da família – considerando inclusive o Bolsa Família e outros benefícios que ela receba – e dividir pelo número de pessoas que a compõem.  Assim, o Brasil Carinhoso garante que todos os componentes tenham renda acima de R$ 70 mensais.


O secretário destaca a importância dessa ação para a primeira infância. Segundo ele, se a criança está num universo de extrema pobreza, não tem acesso à alimentação adequada e nem a estímulos adequados para se desenvolver.


Estados – Em números absolutos, o Pará foi o estado com maior quantidade de famílias que deixaram a extrema pobreza na região: 137,1 mil. Isso significa 655,1 mil pessoas atendidas ou 45% do contingente extremamente pobre do estado.


Percentualmente, no entanto, o melhor resultado obtido foi no Acre, onde o repasse a 16,4 mil famílias retirou da miséria 67,1% do contingente nessa situação no estado, ou 89,6 mil pessoas. O segundo melhor índice foi o de Tocantins (59,1%), seguido por Roraima (57,1%), Amazonas (54%), Amapá (53,8%) e Rondônia (46,4%).


Para receber a complementação do Brasil Carinhoso, as famílias precisam estar inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e receber o benefício do Bolsa Família. Por meio da busca ativa, o MDS as identifica para que possam receber o benefício.


Luís Henrique lembra que a pobreza no Brasil, em termos quantitativos, se concentra no Nordeste. Proporcionalmente, há forte concentração também na Região Norte. “Nas duas regiões, a pobreza tem caído mais do que em todas as outras, mas que ainda existe essa concentração.”


Lançado em maio, o Brasil Carinhoso conta com iniciativas voltadas para a primeira infância nas áreas social, com a complementação do Bolsa Família para famílias em extrema pobreza; de educação, com o aumento da oferta de vagas em creches; e de saúde, oferecendo suplementação de vitamina A, ferro, e medicação gratuita contra asma.


 


Repasse do Brasil Carinhoso para o Norte do país


 


 


UF


Famílias atendidas


Pessoas atendidas


Valor (em R$)


AC


16.449


89.618


2.059.574


AM


69.683


350.834


6.474.734


AP


9.208


44.652


868.904


PA


137.156


655.160


11.702.530


RO


13.404


56.369


1.046.140


RR


8.796


43.630


781.906


TO


22.069


96.797


2.125.098


Total


276.765


1.337.060


25.058.886


 


 


 

 

 

 

 


 

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo