Imprimir esta página

Parque Estadual do Jalapão chega aos 21 anos enfrentando desafios, mas com perspectivas de melhorias futuras

Publicado em: Quarta, 12 Janeiro 2022 19:29 Escrito por Wanja Nóbrega
Avalie este item
(0 votos)
As dunas são uns dos principais pontos turísticos do Parque Estadual do Jalapão Créditos da imagem: Daniel Andrade As dunas são uns dos principais pontos turísticos do Parque Estadual do Jalapão

Criado em 12 de janeiro de 2001, pela Lei Estadual 1.203, o Parque Estadual do Jalapão (PEJ) chega nesta quarta-feira, 12, a maioridade absoluta, enfrentando desafios, mas com perspectivas de melhorias futuras. A região enfrenta os transtornos causados pelo excesso de chuva, que tem castigado todo o Tocantins neste início de ano.

O Jalapão, que já era isolado por causa da falta de estradas asfaltadas, enfrenta agora o isolamento. Córregos e rios transbordaram e as águas invadiram as precárias estradas, dificultando o acesso até mesmo de veículos altos, como os caminhões que levam produtos para abastecer as cidades.

Longe de romantizar o isolamento dos moradores dos municípios do Jalapão, o governador em exercício do Estado do Tocantins Wanderlei Barbosa, está dando à região toda a atenção que ela merece, mas que nunca recebeu.

No domingo, 9, o governador foi pessoalmente ao Jalapão, onde se reuniu com comunitários, empresários e políticos que representam a região, para discutirem sobre políticas de governo necessárias para melhor a infraestrutura local e, consequentemente, a qualidade de vida aos jalapoeiros e, ainda, ampliar as oportunidades de desenvolvimento econômico, que devem estar alinhadas à preservação ambiental.

Wanderlei Barbosa fez questão de conferir de perto os estragos causados pelas chuvas nas estradas e pontes. Ele reconhece as dificuldades que a falta de boas rodovias impõe à população, especialmente do ponto de vista econômico, uma vez que o artesanato e o turismo de base comunitária são as principais atividades que garantem renda aos moradores da região. “Temos que fazer crescer toda a cadeia, melhorar a infraestrutura, gerar emprego e renda. É dessa maneira que vamos mudar o estado de pobreza da região”, avaliou o governador.

O governador entende que dotar a região do Jalapão de infraestrutura básica é obrigação do Governo do Estado, mas pondera que existe muito por fazer em todo o Tocantins. “Levar asfalto é o nosso desejo, mas precisamos ver a questão orçamentária; foram feitos 50 Km e queremos estender essa pavimentação; é uma obra cara e temos outros municípios sem asfalto no Estado; temos cerca de 40 mil pessoas que ainda não desfrutam do primeiro asfalto; temos que fazer justiça com essas pessoas”.

Enquanto a solução definitiva não vem, o governador Wanderlei Barbosa determinou que uma patrulha mecanizada fique à disposição dos municípios da região, uma vez que, mesmo sem as chuvas intensas, as estradas locais precisam de manutenção permanente.

Para o presidente do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), órgão que administra e fiscaliza as atividades do Parque, Renato Jayme, os projetos desenvolvidos pelo Instituto em parceria com as comunidades locais têm obtido resultados positivos, uma vez que possibilita a realização de atividades econômicas de baixo impacto ambiental, conciliando a natureza com a presença humana.

O presidente explica que o trabalho desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio do Naturatins, tem mudado aos poucos o modelo de extrativismo, causando impacto ambiental mínimo, fomentando a renda da população e agregando valor aos seus produtos. “Com a melhoria da infraestrutura do local, os produtos produzidos pelas comunidades do Jalapão terão sua comercialização facilitada, o que gera um leque de possibilidades de geração e renda sem precedentes”, prevê Renato Jayme.

Visitação

Alheios às discussões políticas e administrativas acerca do Jalapão, turistas de todo o Brasil e do mundo continuam sonhando com a natureza em estado puro encontrada na região. São 34 mil km² de área preservada, com uma imensa teia de rios, riachos e ribeirões, cachoeiras e nascentes de águas cristalinas.

O Parque Estadual do Jalapão também é rico em dunas de areias alaranjadas, serras e chapadões de onde se pode avistar a paisagem com vegetação rasteira, que mistura cerrado, campina e matas de galeria. Além disso, é possível viajar durante dias pelo PEJ avistando somente os animais que têm na região seu habitat, como lobos-guarás, emas, raposas, gambás, papagaios, araras e uma infinidade de aves.

Tudo isso faz do Jalapão um lugar singular. Por isso, mais do que um local para a prática do turismo de aventura, o PEJ é também espaço de contemplação da exuberância da natureza e de toda beleza que ela é capaz de oferecer a quem a preserva.

Polícia especializada

Na primeira semana deste ano, o governador Wanderlei Barbosa autorizou a instalação de um batalhão especializado para policiamento de áreas turísticas, para atender ao Jalapão. A base desta nova equipe será no aeroporto de Palmas, em uma área cedida pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

A Companhia de Policiamento de Turismo (CPTUR) fará parte da estrutura do Batalhão de Polícia Militar Rodoviário e Divisas (BPMRED). As bases avançadas serão no distrito de Taquaruçu, em Ponte Alta do Tocantins, São Félix do Tocantins e Mateiros. Dois veículos off road já foram disponibilizados para compor a frota da nova companhia de policiamento.

Criação do parque

Criado pela Lei Estadual 1.203, de 12 de janeiro de 2001, o Parque Estadual do Jalapão pertence à categoria de Unidades de Conservação de Proteção Integral do Estado do Tocantins. A área total do PEJ se concentra no município de Mateiros, sendo que seus limites atingem os marcos divisórios deste com os municípios de Ponte Alta do Tocantins, São Felix do Tocantins e Novo Acordo.

Compartilhar nas redes sociais