Siga nas redes sociais

CPMI do Cachoeira retoma os depoimentos, na terça-feira,7, é esperar para ver se Andressa vai apresentar dossiê contra senadora Katia Abreu


 


Encerrado o recesso, a comissão parlamentar mista de inquérito que investiga as relações de Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privados retoma os seus trabalhos. Na terça-feira,7, a CPMI deverá ouvir Andressa Mendonça, companheira do contraventor, e Joaquim Gomes Thomé Neto, suspeito de fazer escutas clandestinas a mando de Cachoeira. Na quarta-feira,8, será a vez de Andrea Aprígio, ex-mulher do contraventor, e de Rubmaier Ferreira de Carvalho, contador de empresas de fachada que teriam sido usadas pela organização de Cachoeira.


Andressa Mendonça foi acusada de tentar chantagear um juiz para beneficiar o marido. Ela vai depor na condição de investigada, e não de testemunha, e entrou com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo direito de permanecer calada. Esse instrumento jurídico, que já foi usado por outros depoentes, será citado pelo relator da CPMI, deputado Odair Cunha (PT-MG), no seu parecer.


"Quando as pessoas vão à CPMI e não falam nada, é porque elas devem. Meu relatório, claro, vai compreender que o fato de alguém não se defender das acusações se deve ao medo de se incriminar. E isso ocorre exatamente por causa do vínculo com a organização criminosa do senhor Carlos Cachoeira”, disse Cunha.


O relator avalia que é cedo para decidir sobre a necessidade ou não de prorrogar o prazo de trabalho da CPMI: "É uma análise que deve ser feita no final de setembro, mais perto do fim do nosso prazo regimental. Ainda temos agosto e setembro pela frente, e o importante é que nos dediquemos a um trabalho intenso, mesmo neste período eleitoral."


Entre os objetivos da CPMI do Cachoeira, estão identificar o fluxo econômico da organização criminosa, que movimentou recursos por meio de empresas fantasmas e legais; descobrir quais foram os lucros do grupo e quais recursos podem ser recuperados na Justiça para os cofres públicos; e esclarecer quais detentores de funções públicas tiveram envolvimento efetivo com a organização.


Andressa Mendonça,que vai depoir nesta terça-feira,7,ela que tinha prometido desmoralizar a senadora Kátia Abreu (PSD-TO), agora deve ter voltado atrás em suas palavras, já entrou com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo direito de permanecer calada.


Alvo de dois inquéritos no Ministério Público Federal,a companheira de Carlos Cachoeira, depõe nesta terça-feira,7, na comissão mista que investiga as relações de Cachoeira com agentes públicos e empresas privadas.

Diante de declarações veiculadas na imprensa, atribuidas a Andressa Mendonça, esposa do contraventor Carlos Cachoeira, preso pela Polícia Federal desde 29 de fevereiro de 2012, flagrada em prática de suposta chantagem contra o juiz federal Alderico Rocha Santos, e sob investigação do Ministério Público Federal,  a senadora Kátia Abreu tem a informar o seguinte:


1 Nunca esteve com o contraventor Carlos Cachoeira em sua residência ou em qualquer outro local, sequer foi-lhe apresentada e também não manteve encontros com nenhum preposto seu por qualquer motivo.


2 Se o contraventor Carlos Cachoeira se sentiu ofendido com a dureza das palavras da Senadora quando o chamou de Chefe de Quadrilha, a parlamentar  apenas o tratou como de fato é, embasada nas acusações de crimes que motivaram sua prisão decretada pela Justiça Federal, após operação da Polícia Federal.


3 A Senadora reforça que foi dura com o contraventor e pretende continuar sendo com ele ou qualquer outro Chefe de Quadrilha que se apresentar no Congresso Nacional, pois nada deve ou teme.


4 A Senadora reafirma que repetirá todas as vezes que forem necessárias as duras palavras contra esse senhor que é Chefe de Quadrilha e que usa a esposa para praticar calúnia, injúria e difamação, mesmo trancafiado na cadeia, lugar onde também deveria estar sua companheira, por tentar corromper a justiça brasileira


5 Por fim, a senadora Kátia Abreu informa que não vai se intimidar com ameaçasde dossiês porque defende que a corrupção precisa ser combatida duramente e nisto os brasileiros e tocantinenses podem continuar  contando com a sua disposição diária de lutar para que os corruptos sejam mandados para o lugar que merecem atrás  das grades.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo