Siga nas redes sociais

Daniela Mercury comandou show de encerramento do Festival da Cultura

Ellen Oléria, Paula Lima, Majur e Sambaiana também subiram ao palco na noite que celebrou o Dia da Mulher - Foto: Gilberto Soares

Após cinco dias de debates, encontros e conexões, a 4ª Conferência Nacional de Cultura (4ª CNC) chegou ao fim e foi coroada com shows em homenagem ao Dia da Mulher. A cantora Daniela Mercury foi quem comandou  a última noite do Festival da Cultura nesta sexta-feira (8/3). Com uma apresentação celebrando os 40 anos de carreira, a baiana que ajudou a popularizar o axé em todo o país animou o público com os grandes sucessos. A plateia tinha na ponta da língua as letras de  “O canto da cidade”, “Swing da cor” e “Rapunzel”.

Daniela se disse honrada em participar de um momento que considera simbólico para democracia, e lembrou a importância da cultura para garantir a plena cidadania. “A gente precisa usar a cultura para elevar as mulheres, elevar todos os que têm pouca visibilidade. Esse é um ambiente de civilização total, onde a gente educa, onde a gente humaniza o mundo, onde a gente aproxima, acolhe, traz afeto. A arte é a devolução do que produzimos como povo”, concluiu.

Majur dividiu o palco com Daniela e se emocionou ao falar do simbolismo de fazer parte do evento. “Eu quero motivar as pessoas a sentirem essa mesma sensação, irem atrás dos sonhos delas, buscando sempre o melhor pra si, porque essa é a chave pra tudo. Eu estou aqui com a Daniela Mercury, que foi a pessoa que abriu a porta pra mim lá em 2019. Uma mulher levantando a outra, e agora nós duas juntas aqui nessa Conferência, que é tão importante para nossa cultura, e no Dia da Mulher! É uma história incrível e é tudo real, emocionante de viver!”

O público de Brasília também celebrou o encontro. Igor Teixeira é cantor e destacou a diversidade dos artistas que se apresentaram no palco ao longo da semana. “Quando vem uma artista que por ser negra e por ser uma mulher trans, faz com que a gente enxergue a cultura de um polo diferente, de uma forma diferente. Trazer essas outras atrações, a Majur e tantas outras, é mostrar para o povo que a nossa arte é diversa, que nossa cultura também merece ser enxergada”, destacou.

A cientista social Natalia Oliveira também fez questão de prestigiar a última noite do evento. “O Festival está sendo muito incrível! Que a gente possa ter mais experiências como essa, não só aqui na capital, mas em várias outras cidades”.

Mulheres no topo

O dia foi todo delas na  4ª CNC. A brasiliense Ellen Oléria fez duas apresentações ao longo da sexta-feira. Mulher negra e artista independente, ela lembra como é fundamental ter  políticas de cultura bem estruturadas. “Essa rearticulação é fundamental para nós. É determinante pra gente seguir, e seguir melhor. Eu acho que não é possível que um país tão rico culturalmente como o nosso tenha a cultura abandonada. E aí ouvir a comunidade é importante. Então, a conferência é um marco para a gente culturalmente. Estou muito feliz de ser parte desse encontro hoje”, celebrou.

A cantora e compositora Paula Lima também marcou presença no último dia da 4ª CNC. Ela subiu ao palco como convidada do grupo Sambaiana e fez questão de homenagear outras mulheres do samba, ao cantar clássicos de Leci Brandão e Jovelina Peróla Negra. “Existe um movimento muito proativo, positivo e que pensa na mulher. Isso vai além da cultura. Envolve saúde, envolve proteção e também música, já que a arte é agente transformador. É um prazer enorme estar aqui, foi um presente para mim”, celebrou.

Ministras em festa

O Festival da Cultura também foi palco para celebrar as mulheres que compõem o primeiro escalão do Governo Federal, representadas pelas ministras da Igualdade Racial, Anielle Franco, e das Mulheres, Cida Gonçalves, além da presidenta do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros.

“Sim, a cultura voltou. Sim, este é um governo humanizado, que preza pelos direitos das mulheres”, celebrou Anielle Franco. A ministra das Mulheres também festejou. “É um prazer estarmos aqui. As mulheres voltaram, estão empoderadas e nós vamos chegar onde nós quisermos. Ninguém vai nos tirar de onde nós estamos, ninguém vai nos mandar de volta pra casa, ninguém vai nos tirar dos espaços de poder. E os homens da cultura estarão conosco na caminhada, no dia a dia na luta e nas conquistas”, declarou Cida Gonçalves.

Realização

A 4ª CNC é realizada pelo MinC e pelo Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), e correalizada pela Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura no Brasil (OEI). Além disso, conta com apoio da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso Brasil).

O Festival da Cultura, que também integra a programação, é apresentado e patrocinado pelo Banco do Brasil, com realização do MinC e do CNPC, correalização da OEI e apoio da Flacso Brasil.

Fonte: Ministério da Cultura

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo