Siga nas redes sociais

Desmoronamento: Saneago diz que construtora fez “gato” na rede

A Saneago emitiu uma nota pública, na tarde desta quarta-feira (17), informando que a construtora do edifício localizado na rua 1128, no Setor Marista, onde houve desmoronamento, fez um “gato” na rede de água e esgoto e estava utilizando os serviços de forma irregular.

 

Segundo a nota, a Saneago repudia toda e qualquer narrativa que tente imputar à Companhia a responsabilidade pelo desmoronamento ocorrido no último dia 15 de janeiro. A companhia diz ainda que “a narrativa construída pela incorporadora é absurda do ponto de vista técnico e de engenharia, visto que o vazamento ocorreu em decorrência do acidente e não o contrário. Ainda assim, tentar alegar, sem nenhuma prova, que eventual vazamento em ramal de rede de pequeno porte (20mm) possa causar um acidente de tamanhas proporções é, no mínimo, irresponsável”.

 

Nós pedimos um retorno para a Opus Incorporadora, mas não tivemos sucesso até o momento.

 

Confira a nota da Saneago na íntegra: 

 

A Saneago repudia toda e qualquer narrativa que tente imputar à Companhia a responsabilidade pelo desmoronamento ocorrido na Rua 1128, no Setor Marista, em Goiânia, no último dia 15 de janeiro.

Na verdade, assim como os moradores dos prédios vizinhos, a Saneago também é vítima do desmoronamento, que carregou parte da rede de água da Companhia.

É preciso esclarecer que a adutora de 150mm de diâmetro, construída por empreiteira para atender ao Edifício Fluence Marista, encontra-se intacta e não foi afetada pelo desmoronamento. No entanto, a rede de água de 75mm – da qual derivam ramais de 20 mm de diâmetro, que atendem aos demais imóveis da rua 1.128 – foi danificada com o desmoronamento, gerando um vazamento após o ocorrido.

Inclusive, a própria equipe da Opus abriu um registro de atendimento junto à Saneago, às 4 horas da manhã de segunda-feira (15), informando sobre o vazamento decorrente do desmoronamento. Sendo esta a única ocorrência de vazamento registrada no endereço nos últimos anos. A Saneago já está apurando os valores dos prejuízos ocasionados pelo desmoronamento para cobrar, posteriormente, da incorporadora.

Ainda em relação à rede que está em carga e abastece os imóveis do local, informamos que, em 2023, o antigo proprietário do terreno pediu a supressão (retirada definitiva) da ligação de água que atendia aos lotes 20, 21 e 22 da rua 1.128. No momento em que os técnicos da Saneago foram ao local para realizar o serviço, foi constatado que o hidrômetro do proprietário anterior já havia sido

retirado irregularmente pela construtora, que estava usando água da Saneago de forma indevida. A construtora foi notificada do uso incorreto da rede, o gato foi retirado e a ligação do antigo proprietário, suprimida.

A presença de técnicos da Companhia no local após o acidente foi exclusivamente para garantir a segurança das redes de água e esgoto, danificadas pelo desmoronamento. Na manhã do ocorrido, a Saneago realizou o isolamento da adutora de 150mm para evitar possíveis rompimentos.

A narrativa construída pela incorporadora é absurda do ponto de vista técnico e de engenharia, visto que o vazamento ocorreu em decorrência do acidente e não o contrário. Ainda assim, tentar alegar, sem nenhuma prova, que eventual vazamento em ramal de rede de pequeno porte (20mm) possa causar um acidente de tamanhas proporções é, no mínimo, irresponsável.

Na certeza de que a Saneago não carrega responsabilidade pelo ocorrido e que está sendo lesada pelos fatos levianamente a ela imputados, a Companhia informa que está tomando as medidas legais cabíveis e se coloca à disposição da sociedade para esclarecimentos técnicos. (Com Tribuna do Planalto)

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo