Siga nas redes sociais

Governador Wanderlei Barbosa articula com os municípios ações de prevenção e combate à dengue

Secretário da Saúde Carlos Felinto destacou importância do envolvimento dos municípios na luta contra a dengue - Foto: Antonio Gonçalves

O governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa, esteve reunido nesta quinta-feira, 8, em seu gabinete no Palácio Araguaia Governador José Wilson Siqueira Campos, com o secretário de Estado da Saúde (SES-TO), Carlos Felinto; e o presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), Diogo Borges, para definir ações de prevenção e combate à dengue nos municípios do Estado.

Na ocasião, Wanderlei Barbosa relatou a preocupação do estado em diminuir o número de casos, destacando que, em relação a outras unidades federativas, o Tocantins apresenta baixa na transmissão da doença. “Analisamos toda essa situação com muita preocupação, estivemos reunidos com a ministra da Saúde, Nísia Trindade, para debater a situação da doença no País e mesmo com os dados com valores inferiores aos de outros estados, estamos empenhados no combate à dengue no Tocantins. Assim, essa reunião com o representante dos municípios é muito importante”, afirmou o governador.

O presidente da ATM, Diogo Borges, colocou-se à disposição do Governo do Tocantins, relatando os trabalhos que já estão sendo feitos e destacando o empenho do governador em fortalecer a saúde nos municípios. “Estamos aqui com especialistas na área, vendo o próprio governador preocupado com a situação nos municípios, que é onde acontecem essas epidemias. Queremos fazer um conjunto de ações, em parceria com os municípios e o Governo do Tocantins, para que possamos, em um curto espaço de tempo, dar uma resposta a essa situação”, comentou.

A SES-TO já vem realizando ações de prevenção e combate ao mosquito transmissor da dengue. “Reforçamos as campanhas preventivas em todo o Estado e precisamos bastante do apoio das prefeituras e da população. Já estamos acompanhando os municípios e a SES-TO vai articular, até o final deste mês de fevereiro, um encontro com todas as secretarias municipais de Saúde”, reforçou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Felinto.

Reunião com a ministra

Na quarta-feira, 7, ocorreu uma videoconferência do Fórum de Governadores com a ministra da Saúde, Nísia Trindade, para debater a urgente situação enfrentada pelos estados em relação à dengue. O Brasil se torna o pioneiro na inclusão da vacina contra a dengue no Sistema Único de Saúde (SUS), porém, sua disponibilidade será progressiva devido à limitação na produção e na distribuição de doses pelo laboratório fabricante.

Durante a reunião, a ministra explicou os critérios para a distribuição das vacinas, que foram baseados na incidência da doença e definidos em conjunto pelo Ministério da Saúde e pelos conselhos nacionais, de estados e municípios de secretários de saúde. Entre os grupos autorizados a receber a vacina estão as crianças com idade entre 10 e 14 anos.

Prevenção e combate

A dengue, uma enfermidade viral de natureza febril aguda, é transmitida predominantemente pelo mosquito Aedes aegypti. Os sintomas característicos incluem febre, dores musculares e articulares, além de possíveis complicações que podem evoluir como a dengue grave e a síndrome do choque da dengue.

Atualmente, não há um medicamento específico aprovado para o tratamento da dengue, sendo o cuidado dos sintomas e a prevenção da proliferação do vetor transmissor as principais medidas de controle. O diagnóstico precoce e o manejo adequado dos casos são fundamentais para evitar complicações e reduzir a morbimortalidade associada à doença.

A prevenção da dengue envolve uma série de medidas fundamentais para controlar a proliferação do mosquito transmissor, o Aedes aegypti. Entre as principais estratégias estão a eliminação de recipientes que possam acumular água parada, como vasos, pneus e garrafas, que servem de criadouros para o mosquito. Além disso, é essencial manter caixas d’água e outros recipientes de armazenamento de água devidamente tampados; realizar a limpeza regular de calhas e ralos; e utilizar telas em portas e janelas para impedir a entrada do mosquito em ambientes internos.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo