Siga nas redes sociais

Greve do funcionalismo: líder do PSDB quer do Planalto ação para impedir caos na administração pública


 


O agravamento na paralisação que atinge diversos órgãos do governo federal levou o líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), a cobrar do Planalto medidas para impedir um verdadeiro caos na administração pública. A Confederação dos Trabalhadores do Serviço Público Federal estima que 350 mil servidores de 26 categorias aderiram à greve de Norte a Sul.


Araújo citou exemplos do impacto negativo das greves em órgãos como Anvisa, Polícia Federal e Receita Federal, trazendo transtornos para cidadãos e empresas. A paralisação nas universidades, que já dura mais de dois meses, também foi destacada pelo parlamentar. “Perdem-se semanas e meses preciosos para milhões de jovens brasileiros que estão sem a formação necessária para contribuir com a sustentação deste país”, alertou.


Diante da sinalização de greve geral do serviço público, o líder do PSDB fez um apelo ao governo do PT, partido nascido no movimento sindical, para que adote medidas concretas visando superar essa situação. “Neste momento em que esse movimento preocupa tanto o país, voltamos a reafirmar e pedir ao governo que deixe de forma clara todo o processo negocial e encontre uma solução que minimize o atendimento da população brasileira, claramente prejudicada”, reforçou o deputado, que destacou a aprovação de requerimentos do PSDB chamando ministros para explicar a greve.


Manobra no PNE – No pronunciamento, Bruno Araújo também destacou o alerta feito pelo deputado Eduardo Barbosa (MG) sobre um movimento em curso na Câmara liderado pelo governo para levar o Plano Nacional de Educação para votação no plenário da Câmara, atrasando ainda mais a tramitação da matéria. O PNE foi aprovado em comissão especial na Câmara e seguiria para o Senado. “O nosso apelo é que não se consolide esse grau de recurso do Plano Nacional de Educação e que possamos permitir que esse importante avanço da aplicação de 10% das riquezas produzidas no Brasil para a educação possa caminhar e seguir para o Senado”, defendeu Araújo. Segundo ele, o PSDB não vai contribuir com essa manobra. 


 


 


 

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo