Siga nas redes sociais

Homem investigado por estuprar e engravidar a própria filha adolescente é preso pela Polícia Civil

Homem foi preso após ação conjunta das Polícias Civis do Tocantins e de Goiás - Foto: SSP/TO

Um homem de 35 anos, apontado como autor de crime de estupro cometido contra sua própria filha, na cidade de Porto Nacional, no ano de 2023, foi preso na cidade de Goiânia (GO), na tarde da última quinta-feira, 14, durante ação realizada pela Polícia Civil de Goiás. A prisão ocorreu no contexto da Operação Átria voltada ao combate à violência contra a mulher.

A captura do indivíduo ocorreu mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido pela 2ª Vara Criminal de Porto Nacional, após investigações da 8ª Delegacia de Atendimento a Mulher e Vulneráveis (DEAMV – Porto Nacional).

Conforme explica a delegada Fernanda Siqueira, o fato foi comunicado à delegacia após a adolescente de 14 anos ter revelado a familiares que sua gestação era resultante de abusos sexuais praticados pelo próprio genitor, na cidade de Porto Nacional. A partir da denúncia foi instaurado um inquérito policial a fim de investigar o homem suspeito de praticar os abusos.

Apesar das diligências, o investigado não foi localizado, havendo indícios de que tinha se evadido de Porto Nacional com intuito de se eximir da aplicação da lei penal. Diante dos elementos contundentes de autoria e materialidade,  em razão da gravidade do delito e da fuga do investigado, representou-se por sua prisão preventiva. O pedido foi acatado pela 2ª Vara Criminal de Porto Nacional e expediu-se mandado de prisão em desfavor do indivíduo.

Desse modo, as buscas foram intensificadas e na última quinta-feira, 14, após compartilhamento de informações com a Polícia Civil do Estado Goiás, policiais da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR) localizaram e prenderam o investigado no setor São José, em Goiânia.

Após ser detido e submetido a exame de corpo de delito, o preso foi recolhido à Casa de Prisão Provisória de Aparecida de Goiânia (GO), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário da Comarca de Porto Nacional, cidade para onde deve ser recambiado a fim de que possa responder pelo crime que lhe é imputado.

A prisão preventiva do indivíduo se deu durante as ações da Operação Átria, que ocorre anualmente nos mês de março e é voltada para a prevenção e combate à violência de gênero. A Operação Átria é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e executada pelas Secretarias de Segurança Pública dos estados por meio das Polícias Civil e Militar.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo