Siga nas redes sociais

Leilão do Governo Federal garante investimentos de R$ 1,5 bilhão para levar água e energia para o Norte de Minas

Demanda histórica da região, Projeto Hidroagrícola de Jequitaí irá garantir o abastecimento de água em 19 municípios e gerar 84 mil empregos diretos e indiretos - Foto: Divulgação

Após décadas de espera pela população do Norte de Minas Gerais, o Projeto Hidroagrícola de Jequitaí irá sair do papel. O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, participou nesta sexta-feira (1/3) na sede da B3, em São Paulo, do leilão que garantiu R$ 1,5 bilhão em investimentos para a execução do projeto, que vai garantir irrigação, reserva de água e geração de energia, beneficiando cerca de 150 mil pessoas da região, além de gerar 84 mil empregos diretos e indiretos.

Silveira ressaltou que o projeto é uma demanda histórica para combater os efeitos da seca na região e agradeceu o empenho o presidente do Senado Federal, o senador mineiro Rodrigo Pacheco, da bancada federal e estadual de Minas Gerais, que unidos, conseguiram trabalhar para viabilizarem o projeto.

“O Governo Federal está garantindo R$ 1,5 bilhão em investimentos para o projeto. Com esses recursos, construiremos duas barragens no rio Jequitaí. E elas vão melhorar e muito as condições na região. É o governo do presidente Lula levando energia, comida e esperança para quem precisa e para transformar o Norte de Minas. Estamos, literalmente, irrigando a vida no Norte de Minas Gerais”, afirmou Alexandre Silveira.

O projeto consiste na implantação de barragens de usos múltiplos no Rio Jequitaí, além de sistemas que permitirão a irrigação de áreas para produção agrícola e a regularização da vazão do rio.

Sua localização abrange áreas dos municípios de Jequitaí, Francisco Dumont e Claro dos Poções, em Minas Gerais. Ela permitirá a reserva de água para abastecimento de até 19 municípios mineiros, entre os quais Montes Claros, além de gerar outros benefícios, como o ecoturismo, lazer e psicultura.

“As barragens vão permitir o desenvolvimento da agricultura irrigada em aproximadamente 35 mil hectares no Norte de Minas Gerais. Nossa expectativa é que os agricultores locais possam produzir 350 mil toneladas de alimentos por ano quando o projeto estiver concluído, beneficiando mais de 150 mil pessoas diretamente, além de gerar mais emprego e renda para a nossa gente, com quase 100 mil empregos”, destacou.

O ministro ainda destacou que o projeto irá impulsionar o crescimento econômico em múltiplas frentes e estabelecer um ciclo virtuoso de desenvolvimento integrado e sustentável na região Norte de Minas Gerais. Além de todos os benefícios, as barragens terão capacidade de gerar cerca de 20 MW de energia.

“As barragens também serão capazes de produzir cerca de 20 megawatts de energia limpa e renovável, abastecendo cerca de 200 mil pessoas, reafirmando ainda mais o papel do Brasil como líder mundial da transição energética justa e inclusiva”, finalizou o ministro Alexandre Silveira.

A concessão

A concessão do Projeto Hidroagrícola Jequitaí foi realizada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em parceria com o Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) e com a Secretaria Especial para o Programa de Parcerias de Investimentos (SEPPI) da Casa Civil. O Consórcio Jequitaí foi o vencedor do leilão e será responsável pela execução do projeto.

Fonte: Ministério de Minas e Energia (MME)

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo