Siga nas redes sociais

Líder do PSDB diz que prisão de Juquinha Neves é “ponta de escândalo” denunciado por ex-diretor do Dnit


 


O líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), classificou como “graves” as denúncias que causaram a prisão do ex-presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, José Francisco das Neves. Conhecido como “Juquinha”, o ex-presidente da estatal entre 2003 e 2011 foi preso com mais três pessoas por fraudes em licitações da Ferrovia Norte-Sul.


“Além da necessária apuração para punir todos os responsáveis, a prisão do ex-presidente da Valec demonstra o quão grave são as irregularidades detectadas. Lamentavelmente e apesar dessa gravidade, sabemos ser apenas a ponta de um escândalo que já foi revelado pelo ex-diretor do Dnit Luiz Antônio Pagot. Com a aprovação de sua vinda à CPMI, Pagot terá a oportunidade que pediu para esclarecer o esquema de captação de recursos para campanha eleitoral implantado no departamento durante o governo petista”, disse. Pagot afirmou em entrevista que recebeu em 2010 um pedido do tesoureiro da campanha da presidente Dilma, deputado José de Filippi (PT-SP): arrecadar recursos junto às empreiteiras do setor de transportes.


Araújo lamentou apenas a desvirtuação do foco das investigações. Como já tinha alertado anteriormente, o líder tucano acredita que a votação em bloco dos requerimentos de convocação, ocorrida na manhã desta quinta-feira (05), serviu aos interesses do partido do relator. “Convocar o dono da Delta, o ex-diretor do Dnit e o prefeito de Palmas, que notoriamente estão envolvidos de alguma forma com o esquema de Cachoeira, não deve servir como uma espécie de ‘moeda de troca’ para convocar o ex-diretor da Dersa apenas com o intuito de influir na eleição em São Paulo. Enquanto isso, foi colocada separadamente em votação a convocação de Filippi, rejeitada graças à blindagem governista”, criticou.


Mesmo assim, o líder considerou positivo o resultado da reunião administrativa de hoje. “Não faz sentido alimentar uma versão de que estaria em curso qualquer tipo de acordo para enterrar a CPMI. O PSDB espera, apoia e vai exigir que as investigações sigam em frente, evitando que o PT as utilize partidariamente, como anunciado pelo próprio presidente petista em vídeo publicado no site oficial do partido”, concluiu, lembrando pronunciamento do presidente petista Rui Falcão tentando vincular a CPMI aos “autores da farsa do Mensalão”. O vídeo foi retirado do ar logo depois da repercussão negativa.


Da tribuna, o líder da Minoria na Câmara, Antonio Carlos Mendes Thame (SP), lembrou que Juquinha é acusado pelo Ministério Público Federal de Goiás de ter construído um patrimônio de R$ 60 milhões com dinheiro desviado de obras públicas. “Os prejuízos causados pelo seu grupo aos cofres públicos devem atingir valores muito maiores, uma vez que as perícias já realizadas pela Polícia Federal apontam um superfaturamento de mais de R$ 120 milhões na execução das obras da Ferrovia Norte-Sul, obra que faz parte do PAC”, afirmou.


O tucano defendeu a convocação do ex-presidente da Valec na CPI do Cachoeira, diante da gravidade das denúncias. “Em decorrência de denúncias de comandar um esquema de corrupção de larga escala, que lhe propiciou condições de construir um patrimônio pessoal imenso, queremos aqui pedir a convocação de Juquinha, para apresentar o seu depoimento a respeito de tudo aquilo que é acusado”, disse.

 


 

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo