Siga nas redes sociais

Mau uso de recursos públicos pode fazer prefeito tocantinense perder o cargo


 


O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional da República da 1ª Região (PRR1), em Brasília, denunciou o prefeito de Almas (TO), Leonardo Sette Cintra, por crime de responsabilidade. Segundo denúncia, durante seu mandato, a prefeitura teria comprado um caminhão e, em seguida, o leiloado. Com o dinheiro do leilão, dois veículos mais velhos teriam sido comprados. O fato pode caracterizar mau uso de verbas públicas.


 


Em licitação amplamente divulgada, a prefeitura de Almas (TO) comprou o caminhão VW 816 Delivery por 97 mil reais, com dinheiro de um convênio firmado com o Ministério da Agricultura. Pouco tempo depois, com a autorização do prefeito, a administração resolveu leiloar o caminhão alegando que o veículo tinha alto custo de manutenção e não atendia às necessidades do município. Porém, investigação da Polícia Federal concluiu que as características do veículo estavam de acordo com as descritas na licitação realizada.


 


Segundo a procuradora regional da República Valquíria Quixadá, a conduta caracteriza crime de responsabilidade. “O prefeito municipal de Almas, movido por vontade livre e consciente, decidiu empregar os recursos federais transferidos em desacordo com plano estabelecido no convênio”, explicou.


 


O MPF pediu a condenação do prefeito, que poderá cumprir pena de até três anos de prisão, ficar inabilitado para exercício de cargos públicos por cinco anos e ter que devolver os valores gastos à União.


 

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo