Siga nas redes sociais

Ministra Rosa Weber é apresentada a integrantes das EJEs


Nesta segunda-feira (4), a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, apresentou aos presidentes e representantes das escolas judiciárias dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) a ministra Rosa Weber como a nova diretora da Escola Judiciária Eleitoral do TSE.

A ministra Rosa Weber afirmou que exercer o cargo é uma honra e, sobretudo, um “especial desafio” que irá encarar com “muita serenidade por saber da companhia qualificada e da parceria com todas as escolas judiciárias eleitorais do país”.

Reunião

Em seu primeiro encontro com representantes das escolas judiciárias eleitorais do país, a ministra Rosa Weber afirmou que aceitou o convite da presidente do TSE para dirigir a EJE do Tribunal com muita satisfação, pois tem especial apreço por escolas judiciais desde a década de 1980, quando integrou o Conselho Deliberativo da Fundação Escola da Magistratura do Trabalho do Rio Grande do Sul João Antônio G. Pereira Leite (Femargs).

A diretora da EJE/TSE fez questão de ouvir de cada representante como é o funcionamento e o trabalho das escolas judiciais dos tribunais regionais. “Para mim foi motivo de imensa satisfação essa reunião, que, na verdade, foi uma reunião na qual a ministra Cármen Lúcia apresentou-me para os diretores das EJEs, e nós tivemos a oportunidade de ouvir cada um deles, no sentido das demandas, que se mostram bastante intensas, sobretudo em um ano eleitoral”, disse a ministra.

A maioria das EJEs tem ações comuns, como o projeto Eleitor do Futuro, que tem como objetivo despertar nos jovens a consciência sobre a importância da participação política, além de contribuir para a formação cultural das crianças e adolescentes, a promoção de concursos de redação com temas eleitorais e cursos para magistrados e partidos políticos.

Resolução

Quanto às reivindicações sobre uma estrutura mínima de funcionamento, a ministra destacou que a presidente do TSE deve encaminhar, em breve, para apreciação do Plenário do TSE, minuta de resolução que trata dos objetivos e do papel das escolas judiciárias e também de uma estrutura mínima de funcionamento. A minuta de resolução está sendo elaborada com base nas sugestões e observações das próprias escolas em reuniões anteriores.

Sobre esta resolução, a ministra Rosa Weber disse que “a atividade da EJE do TSE está vinculada, num primeiro momento, a uma deliberação do próprio Plenário do TSE, e, naturalmente, às gestões de sua presidente no que tange a uma proposta de resolução que defina, com bastante clareza, os objetivos das EJEs e as diretrizes que serão observadas. Feito isso, havendo essa aprovação, nós continuaremos o nosso trabalho”, concluiu a diretora da EJE/TSE.

Em agosto deste ano, a EJE/TSE completa dez anos. A data será comemorada com um seminário no dia 13 daquele mês, evento para o qual a ministra Rosa Weber já convidou todos os representantes das EJEs.


 

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo