Siga nas redes sociais

Na Assembleia Legislativa Materias do Executivo são encaminhadas para Comissão de Constituição e Justiça


Foram encaminhadas para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), na manhã desta quarta-feira, 25, quatro matérias do Executivo. As propostas tratam de indenização compensatória por serviços médicos de média e alta complexidade na área de Oncologia, mudanças na lei que dispõem sobre o Conselho e Fundo Estadual de Desenvolvimento Econômico e autorização para contratar financiamento no valor de R$ 553.367.668,70 junto ao Banco do Brasil com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Também está na CCJ a medida provisória que sugere modificações em órgãos do Poder Executivo.

O projeto que institui a indenização compensatória contempla profissionais da Saúde especialistas em cirurgia bucomaxilofacial, cirurgiões-dentistas, médicos e membros de equipe multidisciplinar da área de Oncologia do Hospital Geral de Palmas e do Regional de Araguaína. Estão incluídos na lei apenas profissionais com especialização em oncologia ou capacitação específica no Instituto Nacional do Câncer (INCA). Segundo o autor, a intenção é compensar os profissionais pela execução de procedimentos especiais em atividades de média e alta complexidade.

Sobre a proposta de autorização para operação de crédito de R$ 553.367.668,70, o governo pretende investir os recursos na execução do Projeto de Modernização da Infraestrutura de Transporte, na Saúde e em ações da Agência de Fomento do Estado do Tocantins. Outra matéria a ser analisada que trata de alterações na lei que cria o Conselho e Fundo Estadual de Desenvolvimento Econômico define critérios para custeio de operações subsidiadas pelo fundo, com a finalidade de atribuir o suporte financeiro para projetos, ações e empreendimentos de interesse para o desenvolvimento do Estado.

Já a medida provisória referente às adequações nos órgãos do governo trata da extinção da Secretaria de Oportunidades e da Agência de Notícias (ATN), deixando para a Secretaria da Indústria e do Comércio e para a Secretaria de Comunicação Social (Secom) os acervos patrimoniais e bens, respectivamente. Com o fim da ATN, ficam transferidas para a Secom as atribuições jornalísticas, serviços de divulgação e ações realizadas pela extinta agência. Os cargos de dirigentes e assessores na estrutura operacional, a fim de adequar funções e possibilitar o andamento de projetos, também ficam na responsabilidade da Secom e da Secretaria de Indústria e do Comércio.

Outras mudanças previstas pela medida é a criação do cargo de vice-presidente na Agência de Desenvolvimento Turístico (Adtur), com retribuição mensal fixada em R$ 9 mil, a criação de cargos de coordenador de Gestão em Saúde Bucal e de diretor geral da Escola Tocantinense do Sistema Único de Saúde na Secretaria da Saúde. (Maisa Medeiros)Foram encaminhadas para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), na manhã desta quarta-feira, 25, quatro matérias do Executivo. As propostas tratam de indenização compensatória por serviços médicos de média e alta complexidade na área de Oncologia, mudanças na lei que dispõem sobre o Conselho e Fundo Estadual de Desenvolvimento Econômico e autorização para contratar financiamento no valor de R$ 553.367.668,70 junto ao Banco do Brasil com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Também está na CCJ a medida provisória que sugere modificações em órgãos do Poder Executivo.

O projeto que institui a indenização compensatória contempla profissionais da Saúde especialistas em cirurgia bucomaxilofacial, cirurgiões-dentistas, médicos e membros de equipe multidisciplinar da área de Oncologia do Hospital Geral de Palmas e do Regional de Araguaína. Estão incluídos na lei apenas profissionais com especialização em oncologia ou capacitação específica no Instituto Nacional do Câncer (INCA). Segundo o autor, a intenção é compensar os profissionais pela execução de procedimentos especiais em atividades de média e alta complexidade.

Sobre a proposta de autorização para operação de crédito de R$ 553.367.668,70, o governo pretende investir os recursos na execução do Projeto de Modernização da Infraestrutura de Transporte, na Saúde e em ações da Agência de Fomento do Estado do Tocantins. Outra matéria a ser analisada que trata de alterações na lei que cria o Conselho e Fundo Estadual de Desenvolvimento Econômico define critérios para custeio de operações subsidiadas pelo fundo, com a finalidade de atribuir o suporte financeiro para projetos, ações e empreendimentos de interesse para o desenvolvimento do Estado.

Já a medida provisória referente às adequações nos órgãos do governo trata da extinção da Secretaria de Oportunidades e da Agência de Notícias (ATN), deixando para a Secretaria da Indústria e do Comércio e para a Secretaria de Comunicação Social (Secom) os acervos patrimoniais e bens, respectivamente. Com o fim da ATN, ficam transferidas para a Secom as atribuições jornalísticas, serviços de divulgação e ações realizadas pela extinta agência. Os cargos de dirigentes e assessores na estrutura operacional, a fim de adequar funções e possibilitar o andamento de projetos, também ficam na responsabilidade da Secom e da Secretaria de Indústria e do Comércio.

Outras mudanças previstas pela medida é a criação do cargo de vice-presidente na Agência de Desenvolvimento Turístico (Adtur), com retribuição mensal fixada em R$ 9 mil, a criação de cargos de coordenador de Gestão em Saúde Bucal e de diretor geral da Escola Tocantinense do Sistema Único de Saúde na Secretaria da Saúde.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo