Siga nas redes sociais

Oi S.A.: receita da companhia alcançou R$ 6,9 bilhões, com cresciment​o de mais de R$ 100 milhões


 


 


 


 A Oi S.A. registrou receita líquida de R$ 6,9 bilhões, com aumento de R$ 107 milhões, no segundo trimestre do ano. A companhia alcançou 72,3 milhões de Unidades Geradoras de Receitas (UGRs), das quais cerca de 18 milhões no segmento Residencial, 45,2 milhões em Mobilidade Pessoal e 8,4 milhões no Empresarial/Corporativo, além de 729 mil orelhões.     O lucro líquido consolidado foi de R$ 64 milhões, e o EBITDA (lucro antes de juros, impostos e amortizações) chegou a R$ 2,1 bilhões, com margem de 31%. Vale ressaltar que o lucro líquido consolidado representa pela primeira vez o resultado da Oi S.A, enquanto no trimestre anterior, o lucro incluía dois meses exclusivamente da antiga BrT somados a um mês após incorporações da simplificação societária.  No semestre, a receita líquida (pro-forma) da Oi somou R$ 13,7 bilhões, enquanto o EBITDA foi de R$ 4,2 bilhões, com margem de 30%.  A evolução do resultado operacional e financeiro vem respondendo conforme previsto no plano estratégico definido pela companhia até 2015. Residencial: maior desaceleração do ritmo de queda da telefonia fixa e crescimento de banda larga e TV paga contribuíram para o aumento da base deste segmento, revertendo tendência histórica de queda. A estratégia de fidelização implantada pelo plano de longo prazo da companhia, associada à oferta de planos Triple Play de fixo, banda larga e TV paga, resultaram na aceleração do crescimento de banda larga fixa (Oi Velox) e TV por assinatura (Oi TV), e na desaceleração da queda da telefonia fixa. As adições líquidas de UGRs no segmento Residencial somaram 187 mil no trimestre. Em relação à TV paga, a Oi ampliou a cobertura da programação aberta da TV Globo, incluiu Bloomberg, TBS (variedades) e Gloob (infantil), além de outros canais à la carte. Hoje, o Oi TV Mais é o pacote de entrada mais completo do mercado, com 45 canais fechados, dos quais oito dedicados ao esporte. O número de clientes de TV paga apresentou aumento de 23% no trimestre.   A Oi fechou o trimestre com 4,8 milhões de clientes Oi Velox, com mais 192 mil usuários frente ao trimestre anterior. Houve um aumento de 9% nas vendas no período e adicionalmente uma redução de 16% no churn da banda larga fixa, quando comparado com o mesmo trimestre de 2011. O bom resultado ocorre em função principalmente dos investimentos realizados pela companhia na expansão e na qualidade da rede, upgrade de velocidade da base e expansão dos canais de vendas.  Mobilidade Pessoal: crescimento do pós-pago e maior rentabilização da base de pré-pago foram os destaques no trimestre. O segmento de Mobilidade Pessoal chegou a 45,2 milhões de usuários, com crescimento de 2,5% na comparação com o primeiro trimestre e de 15,1% na comparação em doze meses. As adições brutas permaneceram em ritmo acelerado, sendo 3% maiores que as registradas no primeiro trimestre, totalizando 5,7 milhões. Em linha com a estratégia de rentabilização da base de clientes de telefonia móvel, as desconexões totalizaram 4,6 milhões de usuários, gerando 1,1 milhão de adições líquidas. O aumento do pós-pago foi de 4% no trimestre e de 20% em relação ao mesmo trimestre de 2011, alcançando 5,8 milhões de clientes, o que representa 12,8% do total de clientes móveis.  Nos seis meses, foram adicionados 506 mil clientes pós-pagos, 28% a mais que em todo o ano de 2011. Já a base de pré-pago, que soma 39,4 milhões de usuários, aumentou 14,4% em relação ao segundo trimestre de 2011 e 2,3% em relação ao trimestre passado.  A base total de clientes móveis (Mobilidade Pessoal + Empresarial/Corporativo) chegou a 47,8 milhões de usuários (45,2 milhões em Mobilidade Pessoal e 2,6 milhões no segmento Empresarial/Corporativo) no fim do trimestre. A Oi registrou 6,2 milhões em adições brutas e 1,3 milhão em adições liquidas no segmento pós-pago, no segundo trimestre, com crescimento de 2,8% na comparação com o primeiro trimestre do ano e 15,1% no comparativo anual. O ARPU de telefonia móvel do segundo trimestre foi de R$ 21,4, praticamente estável em relação ao trimestre anterior, o que demonstra a qualidade da base de clientes da Oi mesmo em um cenário de crescimento acelerado.  Empresarial/Corporativo: ritmo de crescimento foi mantido em função do incremento de vendas. No segmento Empresarial/Corporativo, a Oi fechou o trimestre com 8,4 milhões de UGRs, com aumento de 3,2% na comparação trimestral, mantendo o ritmo de crescimento já verificado no trimestre anterior. No Empresarial, o aumento chegou a 4,2%, e está relacionado ao incremento de vendas de 36% de linhas móveis e 54% na ativação de dados móveis. No Corporativo, o destaque são as bases de acessos móveis e comunicação de dados fixos, que apresentaram, respectivamente, crescimento no trimestre de 9,6% e 4,7%. Em relação ao portfólio de produtos, a Oi lançou novas soluções para gerenciamento de serviços de TI e Telecom, o Oi Gestão e as redes WAN (Wide Area Network). O serviço Smart Cloud já registra 120 testes com clientes, atingindo índice de satisfação de 90%.    Outros destaques  Investimentos  Os investimentos realizados pela empresa somaram R$ 1,36 bilhão, com aumento de 24,7% em relação ao primeiro trimestre e 30,5% em comparação com igual período de 2011. A maior parte dos recursos foi destinada à ampliação da rede de Banda Larga, na cobertura de 3G e na aquisição das licenças de 4G. O Capex está em linha com guidance da Oi, que aponta para um total de investimentos de R$ 6 bilhões este ano, totalizando R$ 24 bilhões até 2015. 

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo