Siga nas redes sociais

Oito unidades de saúde de Palmas começam a ofertar tratamento vacinal contra raiva humana

A raiva é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados - Foto: Lia Mara

A Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) ampliou a oferta de locais para tratamento vacinal contra a raiva em casos de contaminação por animais possivelmente infectados. Agora oito Unidades de Saúde da Família (USF) da Capital integram a rede de atendimento. Anteriormente, a vacina estava disponível apenas nas Unidades de Pronto Atendimento Norte e Sul, além do Hospital Geral de Palmas (HGP). Confira abaixo as unidades onde  o tratamento está disponível de segunda a sexta-feira:

  • Unidade de Saúde da Família Arno 42  (405 Norte) – 8 às 18 horas
  • Unidade de Saúde da Família Loiane Moreno Vieira (Arse 24 – 210 Sul) – 8 às 18 horas
  • Unidade de Saúde da Família Sátilo Alves de Sousa (Arso 111 – 1103 Sul) – 8 às 18 horas
  • Unidade de Saúde da Família Liberdade (Jardim Aureny III) – 8 às 18 horas
  • Unidade de Saúde da Família José Hermes Rodrigues Damaso (Setor Sul) – 8 às 18 horas
  • Unidade de Saúde da Família Jardim Taquari – 8 às 18 horas
  • Unidade de Saúde da Família Walter Pereira Morato (Taquaruçu) – 8 às 18 horas
  • Unidade de Saúde da Família Mariazinha (Buritirana) – 8 às 18 horas

Quem deve se vacinar 

No caso de agressão por parte de algum animal, o cidadão deve procurar o mais rápido possível a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima. O esquema de profilaxia da raiva humana será prescrito pelo médico ou enfermeiro, que avaliará o caso indicando a aplicação de vacina e/ou soro, caso o profissional indique a vacinação, a pessoa tomará a primeira dose na UPA, onde ela foi atendida e o restante do esquema será realizado na unidade de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, outra medida de prevenção é a profilaxia pré-exposição, que é indicada para pessoas com risco de exposição permanente ao vírus da raiva, durante atividades ocupacionais exercidas por profissionais como: médicos veterinários; biólogos; profissionais de laboratório de virologia e anatomopatologia para raiva; estudantes de medicina veterinária, zootecnia, biologia, agronomia, agrotécnica e diversos outros.

Transmissão

A raiva é causada pelo Vírus do gênero Lyssavirus, da família Rabhdoviridae e é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente, por meio da mordedura, podendo ser transmitida também pela arranhadura ou lambedura desses animais. Os principais sintomas são mal-estar geral, pequeno aumento de temperatura, anorexia, cefaleia, náuseas, dor de garganta, entorpecimento, irritabilidade, inquietude e sensação de angústia.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo