Imprimir esta página

Variante Ômicron preocupa investidores na bolsa

Publicado em: Quarta, 01 Dezembro 2021 15:01 Escrito por Jennifer da Silva
Avalie este item
(0 votos)
César Karam, empresário e investidor, explica como investir em meio ao caos Créditos da imagem: Divulgação César Karam, empresário e investidor, explica como investir em meio ao caos

A economia é um termômetro interessante de ser analisado quando eventos provocam instabilidade em algum país. A pandemia de covid-19 em 2020, deixou rastros de problemas econômicos em diversos países, que estão buscando recuperação até os dias atuais. Por isso, o surgimento de uma nova cepa de covid, também causou alterações nas bolsas de valores do mundo inteiro.

De acordo com dados da XP, ações de companhias aéreas caíram quase 15% e o petróleo cerca de 11%. Além disso, o medo sobre a possível retomada de medidas de isolamento rígido como o lockdown, também vem instabilizando o mercado. Por isso, a maioria dos investidores acredita que este é um momento de cautela. “Creio que independente de estarmos vivendo PL’s históricos altos nos Estados Unidos, indicador sobre a bolsa estar barata ou cara, é importante considerar se no Brasil a oportunidade é momentânea ou de longo prazo”, opina César Karam, investidor e empresário. Para ele, a decisão mais inteligente para os investidores sempre é diversificar e aplicar dinheiro tanto no Brasil, quanto no exterior.

Para investir com segurança, Karam acredita, ainda, que deve-se realizar aplicações aos poucos, mas com frequência. “Existe a teoria do custo médio em dólares que fala que, para o investidor a longo prazo, nada é tão seguro quanto comprar a mesma quantia de ações todos os meses, porque isso mitiga os riscos”, afirma. “Se a pessoa tem esse comprometimento, talvez, compre dólar um pouco mais barato, um pouco mais caro e, no fim das contas, ela consegue colher esses resultados. Então penso que é uma ótima estratégia”, aconselha o especialista.

Karam acredita, também, que é possível começar a investir em meio ao caos gerado pelo avanço da variante. “Pensando em uma situação extrema, algo como aconteceu com a Venezuela, por exemplo. Se você tem somente dinheiro no Brasil, você acaba perdendo todo esse dinheiro. É aí que está a segurança em ter dinheiro aplicado diretamente no exterior, além disso, lá fora tem uma variedade de investimentos maior”, opina.

Sobre César Karam

Formado em administração de empresas e com especialização na área de investimentos, César Karam estudou a fundo a Bolsa de Valores, e hoje possui grande conhecimento sobre esse mercado. 

Karam participou de cursos específicos de Bolsa de Valores, formação em coaching e PNL, concluiu um MBA na Fundação Getúlio Vargas e desenvolveu seu próprio método de investimentos.

Compartilhar nas redes sociais