Siga nas redes sociais

Pecuaristas de Mato Grosso abateram mais vacas neste início de 2012


Em janeiro, pecuaristas de Mato Grosso abateram 235,9 mil vacas, o maior volume desde março de 2007,quando um rebanho de 259,8 mil cabeças foi abatido, apontam os dados do Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea). Desta forma, a participação das fêmeas nas escalas de abate aumentou de 46,2% em dezembro de 2011 para 50,8% em janeiro de 2012. Esse volume abatido é 48% superior ao registrado no mesmo mês de 2011 e 83,2% maior que em janeiro de 2010.


“ O aumento do abate de fêmeas no primeiro trimestre do ano já era esperado, porque os pecuaristas descartam as vacas vazias, mas a oferta está acima do comum”, avalia Alex Santos, da Scot Consultoria. O analista lembra que houve um aumento no abate de matrizes nos três primeiros semestres de 2011. “ Os dados sobre o abate de bovinos do último trimestre do ano passado, que será divulgado pelo IBGE no final de março, deve confirmar a tendência de inversão do ciclo pecuário”, diz.


O ciclo pecuário é caracterizado pelo aumento da oferta de bovinos, quando a arroba tende a cair, ou pela redução na oferta, momento em que a arroba atinge picos de alta . Historicamente, os ciclos duram entre 5 e 7 anos. A última fase de forte depressão nos preços da arroba foi encerrada em 2005 e desde o ano seguinte a pecuária tem vivido um ciclo de alta. Em 2007, os pecuaristas iniciaram o ciclo de retenção de matrizes, com redução da participação de fêmeas no total abatido – de 40%, naquele ano, para cerca de 35% em 2010, segundo dados da Scot Consultoria


 

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo