Siga nas redes sociais

Pesquisa CNT de Opinião traça cenário para eleições 2014


A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou nesta sexta-feira, 3, o resultado da rodada nº 112 da Pesquisa CNT de Opinião. Entre os principais itens avaliados, a pesquisa simulou dois cenários para as eleições presidenciais de 2014. No primeiro, Lula aparece com 69,8% das intenções de voto, o senador Aécio Neves com 11,9% e o governador pernambucano, Eduardo Campos, com 3,2%. No segundo quadro, com Dilma no lugar de Lula, a atual presidente lidera com 59%, Aécio Neves com 14,8% e Eduardo Campos com 6,5%.


Entre 18 e 22 de julho, duas mil pessoas foram entrevistadas, nas cinco regiões do país, e também responderam a questionamentos sobre temas como saúde, emprego e educação; avaliação do governo Dilma Rousseff; e itens como poder de compra, expectativas sobre os rumos da economia e reformas prioritárias a serem feitas pelo governo.


De acordo com a pesquisa, 56,6% dos entrevistados avaliam positivamente o governo Dilma Rousseff. Em agosto de 2011, data do último levantamento da CNT, o número era 49,2%. A avaliação negativa caiu de 9,3% para 7%. O desempenho pessoal da presidente foi aprovado por 75,7% dos consultados, enquanto 17,3% desaprovam.


Sobre a comparação do atual governo com o do ex-presidente Lula, aumentou o percentual dos que acreditam que a gestão de Dilma Rousseff está melhor – 11,5% para 15,9% – e diminuiu de 45,4% para 34,6% os que consideram o governo pior. Para 48,2% dos entrevistados, as duas gestões estão no mesmo patamar.


Em relação à crise econômica mundial, 38,4% dos entrevistados revelaram preocupação e deixaram de comprar, enquanto 60,8% não diminuíram o ritmo de consumo. Os principais desejos de consumo dos brasileiros são a casa própria (57%), carro novo (17,9%), móveis e eletrodomésticos (8,2%), viagem internacional (7,4%) e televisão moderna (1,9%). 


De acordo com o presidente da CNT, senador Clésio Andrade, a retração econômica e industrial no país e a queda da atividade econômica internacional geraram baixos reflexos na economia brasileira até o momento. "Esta situação, aliada às baixas taxas de desemprego no país e à elevada capacidade de consumo reforçam a sensação de otimismo verificados na pesquisa, situação que tende a se manter nos próximos meses, fortalecendo a popularidade da Presidente Dilma Rousseff”, destaca Clésio Andrade.

A 112ª Pesquisa CNT de Opinião, realizada de 18 a 26 de Julho de 2012 e divulgada hoje (03 de Agosto de 2012) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra cenários para a eleição presidencial brasileira de 2014, caso ela fosse realizada hoje. A pesquisa traz também a avaliação do governo e do desempenho pessoal da presidente Dilma Rousseff. O levantamento mostra ainda a percepção do cidadão em relação à economia e reformas sociais. E traz também números sobre o uso das redes sociais e questões sobre a união civil de pessoas do mesmo sexo.

ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS 2014


INTENÇÃO DE VOTO ESTIMULADA – CENÁRIO 1

Em uma lista estimulada para as eleições presidenciais de 2014, a Pesquisa CNT de Opinião obteve os seguintes dados: Lula somou 69,8% dos votos, Aécio Neves 11,9% e Eduardo Campos 3,2%.


INTENÇÃO DE VOTO ESTIMULADA – CENÁRIO 2

Considerando outro cenário, os números são: Dilma, 59,0%; Aécio Neves 14,8% e Eduardo Campos 6,5%.


A pesquisa mostra também os seguintes números para a eleição presidencial num possível segundo turno entre os eventuais candidatos acima.


2º TURNO – Dilma Rousseff x Aécio Neves

Dilma somou 63,8% e Aécio Neves 21,5%.


2º TURNO – Lula x Aécio Neves

Lula obteve 73,4% e Aécio Neves 15,2%.


2º TURNO – Dilma Rousseff x Eduardo Campos

Dilma somou 69,1% e Eduardo Campos 12,4%.


2º TURNO – Lula x Eduardo Campos

Lula obteve 76,1% e Eduardo Campos 8,7%.


AVALIAÇÃO DO GOVERNO E DESEMPENHO PESSOAL

De acordo com os números apurados pela 112ª Pesquisa CNT de Opinião, a avaliação positiva do Governo Dilma Rousseff situa-se em 56,6%, e a avaliação negativa em 7,0%. A aprovação do desempenho pessoal da presidente Dilma situa-se em 75,7% e a desaprovação em 17,3%.


CONJUNTURAIS

EXPECTATIVA DILMA ROUSSEFF

13,9% dos entrevistados acham que a presidente Dilma Rousseff continuará fazendo um ótimo governo; 48,4%, um bom governo; 30,3%, um governo regular; 2,6%, um governo ruim, e 2,9%, um péssimo governo.

Em agosto de 2011, os números eram 13,6%, 47,7%, 26,2%, 3,9% e 3,6%, respectivamente.


De acordo com o Presidente da CNT, Clésio Andrade, “a avaliação da Presidente Dilma Rousseff continua muito alta, favorecida pelos programas sociais, principalmente o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida, e pela percepção de boa situação econômica do país”.


DILMA ROUSSEFF E LULA

Na comparação com o seu antecessor, 15,9% dos entrevistados acham que a presidente Dilma Rousseff está fazendo um governo melhor que o do ex-presidente Lula; para 48,2%, os governos estão iguais e 34,6% acham que está pior.


PODER DE COMPRA/CONSUMO

Na avaliação do atual poder de compra dos entrevistados, 8,2% consideram-no ótimo, 40,9% bom, 37,0 regular, 8,0% ruim e 5,6% péssimo.


EXPECTATIVA PARA O PODER DE COMPRA

Entre o total de entrevistados, 52,8% acham que o poder de compra irá aumentar até o final do ano; 38,0% acreditam que ficará na mesma e 7,6% acham que vai diminuir até dezembro de 2012.


REFLEXOS DA CRISE ECONÔMICA MUNDIAL

A preocupação com a crise econômica mundial alterou o poder de compra de parte da população brasileira; 38,4% dos entrevistados deixaram de comprar algo, mas 60,8% afirmaram que não tiveram alterações em seus hábitos de compra.


De acordo com o Presidente da CNT, Clésio Andrade, “a crise internacional ainda não é percebida pela população como um fator crítico. Apesar da pequena retração industrial, os altos índices de emprego

favorecem a manutenção do otimismo no país”.


DESEJOS DE CONSUMO

Para 57,0%, a casa própria é o principal desejo de consumo. Já 17,9% consideram o carro novo; 8,2% responderam que são mobílias novas ou outros eletrodomésticos; 7,4% responderam que é a viagem internacional e, para 1,9%, a televisão moderna é o principal desejo de consumo.


ECONOMIA BRASILEIRA

Para 48,8% dos entrevistados, a economia brasileira está crescendo. 43,2% acreditam que ela está estagnada e 4,6% acham que ela está diminuindo.


EXPECTATIVA DA ECONOMIA ATÉ O FINAL DO ANO

A maioria dos entrevistados diz estar otimista em relação ao cenário econômico do Brasil; 53,7% acham que a economia vai crescer; 35,5% acreditam que ocorrerá uma estagnação e apenas 6,4% acham que vai diminuir.


REFORMAS SOCIAIS

Para 36,4% dos entrevistados, a Reforma Trabalhista deve ser prioridade no governo da presidente Dilma; para 19,3%, a prioridade deve ser a Reforma Política; para 12,0%, a Reforma Previdenciária; para 11,0%, a Reforma Judiciária; para 10,0%, a Reforma Tributária; e para 6,8% a Reforma Agrária. Em agosto de 2011, os números eram 29,5%, 17,4%, 9,6%, 11,8%, 10,3% e 9,6%, respectivamente.


SITUAÇÃO NO MUNICÍPIO

64,0% dos entrevistados revelaram que os projetos na área da saúde são os mais importantes para seu município; 13,8% consideram os projetos na área da educação; 13,6%, projetos na área de segurança pública e 5,7%, projetos na área de transporte.


O Presidente da CNT, Clésio Andrade, alerta que “o governo deve se preocupar com a melhoria da situação da saúde, que deve ser uma ação prioritária no país”.


INTERNET

Sobre o acesso à rede mundial de computadores, 31,0% disseram utilizar a internet diariamente; 13,6%, alguns dias por semana; 3,8%, alguns dias por mês; 10,8% disseram que usam raramente e 40% não possuem acesso à internet.

Dentre os entrevistados que utilizam internet, 25,0% sempre acessam blogs de notícia; 37,9% acessam às vezes e 36,9% não acessam.


Entre aqueles que utilizam internet, 18,3% têm twitter e 81,7% não têm; 60,0% têm conta no Facebook e 40,0% não têm; e 50,4% dos usuários da internet têm Orkut e 49,6% não têm.


UNIÃO CIVIL

50,0% são favoráveis à legalização da união civil de pessoas do mesmo sexo no país e 41,8% são contra. Em agosto de 2011, os números eram 38,6% e 53,8%, respectivamente.

54,3% dos entrevistados pela Pesquisa CNT de Opinião entendem que um casal formado por pessoas do mesmo sexo deveria ter o direito a adotar um filho; 40,3% acham que não deveria.


CONCLUSÃO

“A presidente Dilma mantém-se forte na avaliação da sociedade em função da percepção de boa gestão nos programas sociais_ Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida_ e também no combate à corrupção. A questão da saúde deve ser uma ação prioritária para o governo, para que não se torne um ponto crítico no futuro.

A retração econômica e industrial no país e a queda da atividade econômica internacional geraram baixos reflexos na economia brasileira até o momento. Esta situação, aliada às baixas taxas de desemprego no país e à elevada capacidade de consumo reforçam a sensação de otimismo verificados na pesquisa, situação que tende a se manter nos próximos meses, fortalecendo a popularidade da Presidente Dilma Rousseff”, conclui o Presidente da Confederação Nacional do Transporte, Clésio

Andrade.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo