Siga nas redes sociais

Produtores são capacitados para receberem assistência técnicas nas propriedades

Após esta capacitação, os produtores receberão a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar por dois anos - Foto: Divulgação

Em Barrolândia, produtores foram capacitados em gestão e empreendedorismo rural por meio do programa Negócio Certo Rural – NCR do Senar. Na região, a cadeia produtiva em destaque é a bovinocultura de corte e leite. O programa conta com 46 horas de instrução e consultorias que auxiliam o produtor a organizar gerencialmente a propriedade, além de construir uma visão analítica sobre a implementação de um novo negócio. Durante o curso, o participante recebe conteúdos que permitem realizar o diagnóstico da propriedade e propor ideias dentro do plano estratégico, avaliando a viabilidade do negócio. Após esta capacitação, os produtores receberão a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar por dois anos.

O diretor de Educação Profissional e Promoção Social, Luiz Claudio Faria, ressaltou que essa iniciativa é fundamental para auxiliar os produtores nas tomadas de decisões e visa aumentar a produção com foco na viabilidade econômica. “O Negócio Certo Rural tem como missão fornecer princípios de gestão essenciais para que o produtor possa iniciar o trabalho com a assistência técnica do Senar, este treinamento preza por atender todo o ciclo produtivo do produtor, naquilo que tange o planejamento estratégico da atividade dele”, explicou.

Ao longo do treinamento, eles elaboraram um plano de negócio piloto, que foca no alinhamento das ações realizadas na área rural. O instrutor Alarico Neto destacou que cada propriedade tem características particulares, e junto ao produtor é realizado um diagnóstico de aptidão que traça a viabilidade do plano ser implementado.

“É importante que esses produtores terminem o curso entendendo questões que envolvem o custo de produção, receita, faturamento, diferenciar o que é investimento, custo fixo e variável”, disse. Com o encerramento do curso, os participantes receberam uma visita na propriedade rural, onde tiveram uma assistência direcionada cujo intuito foi revisar o plano de negócio conforme a necessidade específica de cada produtor.

A VISITA

Segundo o instrutor Alarico Neto, as visitas foram produtivas e reforçaram a missão do treinamento. “Visitamos 21 propriedades e percebemos que é uma região com bastante aptidão para bovinocultura. Durante as visitas, revisamos o plano de negócio, seja ele para uma atividade nova ou para complementar uma atividade que o produtor já desempenha na propriedade”.

O produtor rural Olávio Santos, que trabalha com o sistema de recria, detalhou o plano de negócio elaborado para a propriedade dele. Posteriormente, a viabilidade do negócio será avaliada por meio dos indicadores econômicos. “A minha ideia é comprar a bezerra de desmama em torno de 200 quilos, entre 6 e 7 arrobas, e levá-las a 360 quilos dentro do período de um ano. Estamos calculando os custos fixos e as variáveis, a depreciação, valor estimado da arroba, os insumos necessários e a mão de obra”, declarou.

Renan Moreira, um dos participantes, disse que pretende dar continuidade ao negócio de recria de bezerros de corte. “O curso foi além do que imaginei, me surpreendeu pela didática”, disse ele. “A instrução foi muito valiosa, gostei bastante do profissional que esteve à frente do curso.

“Vamos pôr em prática o que aprendemos”, disse Volney Neves, produtor de gado de corte e leite.

Bernardino Etelvino, outro produtor, expressou a satisfação em ter participado do curso. “O treinamento foi extraordinário, com uma instrução muito capacitada. Estou cheio de expectativas”.

“Concluímos este curso com sucesso. Foi muito gratificante estar repassando conhecimentos que irão beneficiar cada produtor envolvido”, finalizou Alarico.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo