Siga nas redes sociais

Seduh convida moradores de Taquaruçu e Buritirana para audiência pública sobre Plano Diretor dos distritos


Durante a última reunião que antecedeu as audiências públicas para discutir a criação do Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável dos Distritos de Taquaruçu e Buritirana, ocorrida na última sexta-feira, 27, na Praça Joaquim Maracaípe em Taquaruçu, os técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) contaram com a presença dos moradores e parceiros envolvidos no projeto.


A primeira audiência pública acontecerá em Buritirana no dia 4 de maio, às 19h, na Escola Luís Nunes, já a de Taquaruçu será no dia 11 de maio, às 19h, no teatro de Arena da Praça Joaquim Maracaípe.  “Esperamos que haja maior participação dos moradores nas audiências, pois iremos discutir a realidade deles, é a ‘moradia’ deles que está em questão, por isso é fundamental a participação de todos”, reforçou a técnica da Seduh, Sara Rodovalho.


Inicialmente, foi discutido com a população o que é o plano, sua necessidade e quais etapas que ele deve cumprir. Parceiros como IBGE e Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos (Semasp) se dispuseram a esclarecer sua contribuição frente ao projeto. “Podemos realizar o georreferenciamento das áreas dos distritos, bem como disponibilizar imagens e dados para contribuir no Plano”, disse o analista de Geoprocessamento do IBGE, Edis de Carvalho.


No anseio da preservação do meio ambiente, o morador de Taquaruçu há 12 anos, Wertemberg Nunes, demonstrou interesse em participar das audiências. “Temos que ver esta região como um pólo ecoturístico e respeitar suas limitações. Além disso, temos outras questões como regulamentação de áreas como de postos de combustíveis e outras”, alertou Nunes.


“Entendemos que pelo fato de ser uma região de ecoturismo é importante definir a regularização fundiária nos distritos, além do uso das bacias hidrográficas, bem como a regulamentação do uso das cachoeiras”, ponderou o técnico da Semasp, Marcus Bazoni.


O Plano

O plano consta de três etapas e cada fase contará com uma audiência pública em cada distrito para a apresentação do produto. Nesta primeira fase está sendo elaborado um diagnóstico da realidade dos municípios que irão compôr da identificação e caracterização dos diversos aspectos a partir da leitura técnica e comunitária dos Distritos.


Na segunda etapa do processo serão elaboradas as diretrizes gerais e as propostas por meio de identificação das soluções possíveis e definição de prioridades. A terceira e última etapa do processo prevê a redação da minuta do Projeto de Lei Complementar através do resultado sintético dos objetivos, diretrizes, estratégias e demais propostas do Plano Diretor. As audiências públicas destas últimas fases ainda não foram marcadas, mas estima-se que todo o processo se conclua ainda este ano.

Compartilhar nas redes sociais
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Artigos relacionados

Notícias Em destaque

Pular para o conteúdo